Fábio Damasceno foi palestrante do Almoço Executivo do Transcares

“Somos um Estado pequeno, de quatro milhões de habitantes. Geograficamente falando, estamos muito bem localizados, mas precisamos ganhar eficiência. Se unirmos nossa localização privilegiada com uma logística mais eficaz, ganharemos justamente em eficiência. É esta visão de execução que estamos dando ao Estado”.

Foi com essa mensagem que o secretário de Estado de Mobilidade e Infraestrutura (Semob), Fábio Damasceno, encerrou o Almoço Executivo de agosto, realizado nesta quarta-feira, 14, no Salão de Eventos do Transcares. Numa palestra que durou um pouco mais do que meia hora, o convidado especial do presidente Marcos Furtunato levou a diretores, empresários, mantenedores e parceiros do sindicato as notícias mais recentes e relevantes acerca dos projetos de infraestrutura, logística e mobilidade do Espírito Santo.

O almoço-palestra do mês encheu o Salão de Eventos. Dentre os que fizeram questão de participar do encontro estavam o vice-presidente da entidade, José Geraldo Valadão, e os diretores Luiz Alberto Teixeira, Fernando De Marchi, Marcos Zon, Fernando Favalessa e Sidnei Boff, o presidente da Fetransportes, Jerson Picoli, o diretor-presidente Ceturb (Companhia Estadual de Transportes Coletivos de Passageiros do Estado do Espírito Santo), Raphael Trés, o diretor-presidente da Associação Empresarial de Cariacica (AEC), Dácio Ferreira, e o secretário-geral do Setpes (Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros do Espírito Santo), Jaime Carlos de Angeli, dentre outros. Representantes de mantenedores também marcaram presença. Estavam no evento Victor Pontes, da GW Sistemas, Ivan Tavares, da Roadcard, e o trio da Autotrac – Reginaldo Barreto, Mário dos Santos e Paula Barrachina.

Damasceno iniciou o bate-papo explicando o novo nome da secretaria, que deixou de ser Setop (Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas) e se tornou Semob. Segundo ele, a mudança é apenas um reflexo das atribuições da secretaria. “Atualmente, nossa equipe cuida também de mobilidade urbana, e não só de transporte”.

Dentro dessa nova formatação, o time da secretaria está atuando em diversas vertentes. No que diz respeito à mobilidade urbana, ele destacou o compromisso com três obras prioritárias cujo objetivo é minimizar os congestionamentos. A construção do Trevo de Carapina, na Serra; o Portal do Príncipe, que deve ser entregue entre oito e 10 meses, melhorando o fluxo dos caminhões na área do porto, e o projeto da ciclovia da Terceira Ponte – uma estrutura metálica que será anexada nas laterais da ponte para a passagem de ciclistas e ao mesmo tempo fazendo a barreira de proteção ao suicídio. Além disso, a capacidade de trânsito da ponte será aumentada em torno de 40%, com a criação de duas novas faixas. Desse modo, a ponte passará a contar com três faixas em cada sentido. E ele não deixou de citar a conclusão das obras da Leitão da Silva, que se arrasta há anos.

“Ao minimizarmos os problemas de congestionamento, iniciaremos a segunda etapa dos projetos de mobilidade urbana, com a priorização do transporte público. Em Vitória, vamos ampliar a Linha Verde e em Vila Velha o caminho será investir no BRT. Já temos, inclusive, recursos garantidos para isso”, destacou ele, completando em seguida.

“A reestruturação do transporte público exige reequilíbrio dos contratos com as empresas, para que possamos garantir a plenitude do sistema. Fizemos um acordo com os empresários para que, dentre outras ações de melhoria, eles conseguissem renovar a frota e estamos seguindo com um plano de melhoria dos veículos, com foco também da melhoria da imagem do sistema. Compramos 115 ônibus novos e desse total, 100 foram fabricados aqui no Estado, na fábrica da Marcopolo, em São Mateus. Estamos investindo em conforto, segurança e comodidade”, enumerou ele.

Na opinião do secretário, com a implantação do Bilhete Único e, consequentemente, com a integração do sistema, quem opera com transporte público vai ganhar em segurança, rapidez no embarque e reduzimos evasão de receita. “A retirada da movimentação de dinheiro no interior dos ônibus é um processo evolutivo que acabou culminando com a retirada dos cobradores. Sabíamos que esse movimento geraria uma resistência, mas já é um projeto consolidado e vamos fazer nossa parte para tentar realocar esses profissionais”.

No segmento da logística, Damasceno listou os projetos nos modais aeroportuário, ferroviário, portuário e rodoviário que estão no radar da equipe da secretaria.

No aeroportuário, ele destacou os aeroportos regionais de Linhares e de Cachoeiro de Itapemirim. “O de Linhares é uma realidade para o final de 2020, ele será voltado para a operação de cargas e será concedido. O de Cacheiro, por sua vez, tem algumas restrições de pouso e decolagem e deve ser mais voltado para o transporte de passageiros”, adiantou.

Sobre os portos capixabas, o secretário defende o Terminal de Barra do Riacho, em Aracruz, com “unhas e dentes”. “Vemos muita notícia e pouca efetividade nas notícias relacionadas ao modal. Se tivesse que apostar, seria em Barra do Riacho, que já é uma realidade, e Porto Central”.

E quanto as rodovias, ele é direto ao ressaltar que o Estado precisa de um novo e efetivo planejamento logístico. Neste sentido, o Estado acaba de fechar um projeto de parceria com a Findes que promete trazer novidades para o Estado.

Pratos da Boa Lembrança

Neste mês, Marcos Furtunato e José Geraldo Valadão entregaram o Prato da Boa Lembrança e uma edição do livro de 40 anos do Trancares a Fábio Damasceno e ao diretor-presidente Ceturb, Raphael Trés.

Fonte: Assessoria de Comunicação Transcares