Jerson Picoli recebeu a Medalha JK – Ordem Grã-Cruz

A noite de quarta-feira, 27 de março, abriu um novo capítulo na história do setor de transportes. Empresário do transporte rodoviário de cargas e logística, Vander Costa assumiu a presidência da CNT no lugar de Clésio Andrade, que estava no cargo há 26 anos. A posse oficial de Costa e da nova diretoria foi realizada no prédio da CNT, em Brasília, e na mesma solenidade também foi realizada a cerimônia de entrega da Ordem do Mérito do Transporte Brasileiro – Medalha JK. O grande homenageado foi o presidente da Fetransportes e membro efetivo do Conselho Fiscal da CNT, Jerson Antonio Picoli, que recebeu a comenda na categoria Grã-Cruz.

Além de Picoli, outras 14 personalidades foram reconhecidas por sua atuação junto ao setor. A premiação, instituída em 1991, possui três graus de honrarias: Grã-Cruz, Grande Oficial, que premiou sete pessoas, e a Oficial, outras sete.

“A Fetransportes foi fundada em dezembro de 1993, graças ao trabalho e empenho do presidente Clésio, e a criação da Fetransportes abriu o caminho para as unidades do Sest Senat-ES.De lá para cá, a parceria entre CNT, Sest Senat e Fetransportes não parou, temos grandes feitos e é com grande emoção que recebo essa honraria. Acompanhei o presidente Clésio, estou realizado com o que já fizemos até hoje e preparado para continuar a atuar lado a lado com nossa confederação, agora, com o presidente Vander”, disse em seu pronunciamento.

Capixaba na diretoria da Seção Cargas

A noite da quarta-feira foi especial também para o ex-presidente do Transcares, Liemar Pretti, que faz parte da nova diretoria da confederação e promete um forte trabalho de articulação em prol do segmento. Ele integra o grupo de empresários que compõe a Diretoria da Seção II do Transporte Rodoviário de Cargas.

“Como membro desta diretoria, quero atuar em questões voltadas ao segmento, sempre na interlocução com lideranças políticas capixabas, discutindo questões do Estado, e também pautas relevantes para o Transcares”, destacou ele.

O presidente do Transcares, Marcos Furtunato, e o superintendente, Mario Natali, acompanharam de perto a cerimônia nacional.

Cerimônia solene de posse

O novo presidente da Confederação Nacional do Transporte, Vander Costa, e os membros da nova diretoria ficarão à frente da entidade pelo período 2019-2023. O empresário mineiro do transporte rodoviário de cargas substitui Clésio Andrade, que esteve à frente da Confederação nos últimos anos. Vander Costa também assume a presidência dos Conselhos Nacionais do Sest e do Senat e do ITL (Instituto de Transporte e Logística).

“Meu agradecimento especial ao presidente Clésio, que me deu todo o apoio na fase de transição, se comportando como um mestre que ensina o caminho ao aprendiz”, afirmou no discurso de posse.

O presidente exaltou o fato de Clésio Andrade ter criado o Sest Senat, instituição que há 25 anos promove a melhoria da qualidade de vida dos trabalhadores do transporte por meio da prestação de serviços de qualificação profissional e atendimentos de saúde gratuitos.

Vander Costa também destacou o trabalho desenvolvido pela CNT com as pesquisas e estudos produzidos pela entidade, além da atuação junto aos Três Poderes para aprovar temas de interesse do setor, como a legislação de controle de jornada dos motoristas e a reforma da CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas). Outro ponto de destaque foi a criação do ITL, que atua, desde 2013 na qualificação de gestores do transporte disponibilizando cursos de capacitação ministrados por renomadas instituições de ensino como a Fundação Dom Cabral, a Embry-Ridle Aeronautical University e a DB Rail Academy.

Atuação

Entre as principais bandeiras a serem defendidas por Costa durante a sua gestão está, em primeiro lugar, a defesa do Sistema S. “No final do ano passado, o ministro Paulo Guedes afirmou, em discurso, a intenção de dar uma ‘facada no sistema’. Vimos a declaração como a posição de quem não tem conhecimento pleno dos benefícios que o sistema traz para a sociedade brasileira”. Segundo o novo presidente, não é cortando parte dos recursos que haverá avanço econômico.

Ele argumentou ainda que o investimento em infraestrutura é a melhor maneira de promover o crescimento. “Para isso, é preciso viabilizar as parcerias com a iniciativa privada, com segurança jurídica por meio de licitações claras, onde possam ser conhecidos os deveres e os direitos dos vencedores dos leilões”, disse.

O presidente também criticou o sistema de outorgas nos leilões realizados pelo governo. “Quem paga mais outorgas tem custo mais alto e a consequência são tarifas mais caras. Tarifas mais caras significam transporte mais caro, aumentando o Custo Brasil, que reconhecidamente é um dos problemas para o desenvolvimento sustentável”, alertou. Outro tema destacado pelo novo presidente foi a necessidade de aprovação da reforma da Previdência, que, segundo ele, precisa ser vista como um projeto de Estado e não de governo.

Os homenageados com a Medalha JK:

Grã-cruz

Jerson Antonio Picoli

Grande Oficial

Silvio Valdemar Tamelini

Sérgio Luiz Pedrosa

Luiz Gonzaga Gonçalves

Jovelino de Gomes Pires

Tarcísio Gomes de Freitas

Jeferson Domingues de Freitas

José Adriano Donzelli

Oficial

Edmundo de Carvalho Pinheiro

José Marciano de Oliveira

Sergio Antônio de Oliveira

Dino Antunes Dias Batista

Luís Augusto Valença de Oliveira

Tarcísio Gargioni

Márcio Albuquerque Madruga

Fonte: Assessoria de Comunicação Fetransportes e Agência CNT