Terminal da Barra do Riacho quer expandir infraestrutura

Considerado o principal e mais eficiente porto do mundo no embarque de celulose, o Portocel completou 40 anos anunciando novos investimentos. O terminal de Barra do Riacho, em Aracruz, que é controlado por duas das principais empresas brasileiras do setor florestal (Fibria, com 51%, e Cenibra, 49%), deseja expandir sua infraestrutura, duplicar sua capacidade de movimentação de cargas e investir R$ 2 milhões nos próximos ano. As novidades foram divulgadas na solenidade realizada nesta quarta-feira, 28 de fevereiro, que reuniu em Aracruz, além da diretora-superintendente do Portocel e anfitriã, Patricia Dutra Lascosque, autoridades, dirigentes de diversos setores e empresários. Dentre os convidados, estava o coordenador do Programa Despoluir-ES, Jão Paulo Lamas, representando o presidente da Fetransportes, Jerson Picoli, além do presidente do Transcares, Liemar Pretti, do superintendente, Mario Natali, e do gerente, Mauro Sérgio Amorim Motta.

Portocel já movimentou mais de 100 milhões de toneladas de celulose, marca alcançada em 2017, e no evento desta semana foram inaugurados os novos guindastes de movimentação de madeira instalados no Terminal de Barcaças. Juntos, os dois empreendimentos somam R$ 85 milhões de investimento e geraram 450 postos de trabalho na execução das obras.

Patrícia Lascoque aproveitou a solenidade para explicar que a ampliação será realizada em duas fases, que vão contemplar a construção de armazéns, pátios, retroáreas, novos berços, realização de dragagem e expansão do ramal ferroviário, dentre outras intervenções. Tais mudanças, destacou, serão responsáveis por dobrar a movimentação de celulose – vai sair de 7 milhões de toneladas por ano para 14 milhões. Além disso, ela lembrou que a expansão vai colocar o Estado em um novo patamar no tocante à movimentação de cargas gerais, que vem a ser um antigo gargalo capixaba.

A partir da ampliação, o terminal passará a ter um calado de 15 metros e poderá receber navios de até 366 metros. Atualmente, o calado médio é de 11,8, o que lhe permite receber navios de até 230 metros.

Melhorias

Os investimentos em melhorias no Portocel incluíram a reforma e modernização de dois armazéns; a recuperação dos pisos e estruturas dos berços de atracação; além do ramal ferroviário que interliga Portocel à Cenibra. Também foram modernizados os sistemas de iluminação e de drenagem pluvial. Outra melhoria foi na portaria que dá acesso ao porto, visando otimizar o fluxo de carretas e a segurança do trânsito. O porto passou ainda por um processo de dragagem, estando apto a receber navios de calado maior.

De 1978 a 1995, o porto operava com apenas um berço. Recebia, em média, 64 navios por ano e movimentava 700 mil toneladas/ano. De 1996 a 2008, com dois berços, a média anual de navios subiu para 256 e a movimentação média anual passou para 2,8 milhões de toneladas de celulose. De 2009 a 2016, operando com três berços de atracação, o terminal recebeu média anual de 306 navios e 433 barcaças, com movimentação média de 9,2 milhões de toneladas/ano.