Evento foi realizado pelo Transcares dia 22 de agosto

E mais uma vez, o Transcares lotou o auditório do Clube dos Oficiais no III Fórum de Prevenção e Combate ao Roubo de Cargas no Transporte Rodoviário de Cargas e Logística, realizado na manhã desta terá-feira, 22 de agosto. Assim como aconteceu ano passado, a equipe do sindicato reuniu num mesmo ambiente empresários e dirigentes do setor, do Espírito Santo, São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, autoridades, representantes das polícias Militar, Civil, Rodoviária Federal e Federal com o objetivo de apresentar dados, alinhar ações, informações e conhecimentos, bem como integrar os esforços público-privados em estudos, prevenção e combate ao furto, roubo e receptação de cargas.

Dentre as autoridades, palestrantes e convidados presentes, estavam o secretário de Estado de Segurança Pùblica, André Garcia, o presidente da Fetransportes, Jerson Picoli, o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Nylton Rodrigues, o chefe do Estado Maior-Geral da PM, coronel Márcio Celante, o chefe da Polícia Civil, delegado Guilherme Daré, o superintendente regional da Polícia Rodoviária Federal, Willys Lyra, o delegado de Polícia Federal Lorenzo Fontes, o comandante-geral do Corpo de Bombeiro, coronel Marcelo D´isep, o assessor de segurança da Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística (NTC&Logística), coronel Paulo Roberto de Souza, o diretor de Segurança do Sindicarga (Sindicato das Empresas do Transporte de Cargas e Logística do Rio de Janeiro), coronel Venâncio Moura, o assessor de Segurança Patrimonial da Federação das Empresas de Cargas de Minas Gerais (Fetcemg), Ivanildo Manoel dos Santos, o assessor especial da Confederação Nacional do Transporte (CNT) Getúlio Bezerra, o gerente fiscal da secretaria de Estado da Fazenda, Bruno Aguilar Soares, o secretário-geral do Setpes, coronel Jaime Carlos De Angeli, a diretora do Sest Senat de Colatina, Scheila Mara Fantin, o diretor da 3S Tecnologia, uma das mantenedoras do  Transcares, Clóvis Augusto Manfio, o presidente do Sincor, José Rômulo da Silva, o superintendente do Sincades, Cézar Pinto, e o representante da patrocinadora do evento e também mantenedora do sindicato Autotrac, José Heráclito Demétrio de Araújo.

Logo na abertura do evento, o presidente do Transcares e anfitrião do encontro, Liemar Pretti, destacou a atuação capixaba, que na contramão de outros estados da Região Sudeste está comemorando a redução nos números de ocorrências – entre janeiro e junho deste ano foram 42 casos registrados contra 58 no mesmo período do ano passado.

“Os números mostram que estamos fazendo nosso dever de casa, mas este é um trabalho de longo prazo e que precisa, acima de tudo, de integração. Daí a importância de reunirmos dirigentes de outros estados do Sudeste. Precisamos unir forças”, ressaltou.

Depois de enaltecer a atuação integrada do Espírito Santo, que envolve iniciativa privada, polícias e serviço de inteligência, André Garcia falou qual é a sua grade preocupação no momento: a possibilidade do crescimento de casos no Estado. “Nosso maior compromisso é evitar que as ocorrências voltem a crescer. A problemática atual de estados como Rio, São Paulo Minas e Bahia nos mostram a relevância da  troca informações e do trabalho preventivo. Temos que estar sempre à frente”, disse ele, cujas palavras convergiram com as do presidente da Fetransportes, Jerson Picoli. “Iniciativas como estas do Transcares fazem toda a diferença para o segmento”.

Palestras

Lideranças do setor defendem que o roubo e a receptação de cargas são um grave problema de segurança com reflexos diretos na economia e no abastecimento das cidades, exigindo, assim, medidas institucionais e convergência de esforços para seu enfrentamento. E este foi o tema da palestra do coronel Paulo Roberto de Souza, da NTC&Logística, que deixou um importante recado ao público.

“Precisamos adotar legislações mais adequadas à realidade que estamos vivendo. Vejo estados modernizando suas leis e isso é muito bom, pois estamos criando instrumentos para coibir a receptação e a movimentação de cargas roubadas. Este é o caminho”.

A seguir, Venâncio Moura apresentou uma síntese do atual cenário de combate ao roubo de cargas no Rio de Janeiro. Um estudo do Instituto de Segurança Pública daquele estado mostra que os assaltos a caminhões triplicaram de 2000 a 2016. Somente este ano, 24 caminhões, em média, são roubados por dia. O diretor de Segurança do Sindicarga está sofrendo na pele a problemática carioca e sempre que questionado sobre o aumento no número dos casos na cidade, tem repetido uma frase emblemática. “O roubo de cargas e sua distribuição têm feito inveja a qualquer empresário”.

Nesta terça, durante o fórum do Transcares, ele foi ainda mais incisivo com a realidade do Rio. “Até 2013, a situação de roubo de cargas no Estado era tolerável, mas a partir de 2014 piorou demais! E qual é o nosso principal problema? O Rio está enfrentando o poder paralelo, e poder paralelo não se combate só com polícia. No passado, a polícia ficava no asfalto e bandido ficava encurralado, só que os papéis se inverteram. Precisamos de um pacto que envolva poder Judiciário, Ministério Público, OAB, polícia, empresas, todos juntos atuando contra esse inimigo”.

Numa rápida apresentação sobre o panorama mineiro, o assessor de Segurança Patrimonial da Fetcemg, Ivanildo Manoel dos Santos, chegou a dizer que as quadrilhas envolvidas nesse tipo de crime “estão brincando com as autoridades e sem a menor preocupação de serem presos”.

O chefe da Divisão de Repressão aos Crimes Patrimoniais, Fabiano Rosa, o diretor da Diretoria de Inteligência  da PMES (Dint), coronel Douglas Caus, o inspetor da PRF Rodrigo Bonfim e o delegado de Polícia Federal Lorenzo Fontes foram os representantes policiais responsáveis pelas palestras que apresentaram uma síntese do cenário local no que diz respeito a furtos e roubos de cargas e medidas adotada para o seu enfrentamento.

E das quatro palestras ficaram algumas mensagens. Rosa destacou o importante (e atuante!)  trabalho das delegacias especializadas – a de Roubo de Cargas está sendo comandada por Nilton Abdalla, que tem feito importantes ações no sentido de prender bandidos envolvendo em roubo de cargas. Caus falou da necessidade do investimento em serviço de inteligência para qualificar o trabalho policial. Bonfim, que também enalteceu a necessidade de focar na parte estratégica, observou que, ainda hoje, não existe um sistema de informação centralizada para facilitar o fluxo de informações e beneficiar a integração policial. E Lorenzo abordou a necessidade da PF ser envolvida nas ocorrências porque como tem atuação em outros estados pode ajudar na resolução de casos que hoje não chegam até eles.

Terminadas as palestras dos policiais, o superintendente do Transcares, Mario Natali, falou um pouco das ações que o sindicato vem capitaneando e voltou a falar duas palavras que já haviam sido ditas ao longo do fórum: cooperação e convergência de esforços. “O roubo de cargas é uma situação relativamente nova dentro da área criminal. Precisamos, então, conhecer a cultura do crime e nos antever aos fatos. No caso do Espírito Santo, é isso o que estamos fazendo e, até agora, tendo sucesso”, ressaltou ele, que também divulgou ao público a proposta de capacitação para policiais “de campo” que está em análise na CNT. A ideia, segundo o dirigente, é deixar o agente policial mais bem preparado para lidas com esses tipos de crimes.

Outro palestrante convidado do evento capixaba, o gerente fiscal da secretaria de Estado da Fazenda, Bruno Aguilar Soares, apresentou os projetos relacionados ao monitoramento eletrônico de veículos de cargas que estão em desenvolvimento na Sefaz e que prometem dar mais segurança ao fluxo de mercadorias.

E o último palestrante da manhã foi o representante da CNT, Getúlio Bezerra, que levou ao público informações a respeito do Proteger – Programa de Segurança de Operações de Transporte de Cargas e de Prevenção ao Delito.

O III Fórum de Prevenção e Combate ao Roubo de Cargas no Transporte Rodoviário de Cargas e Logística Este foi uma realização do Transcares, com o apoio do Governo do Estado, através da Secretaria de Estado de Segurança Pública. O evento teve patrocínio da Autotrac e contou, ainda, com a parceria do Sincor, do Sincades e do Clube dos Oficiais da Polícia Militar do Espírito Santo.