Transcares participa de encontro de segurança em Florianópolis

O roubo de cargas continua sendo o “calcanhar de Aquiles” do setor transportador. Segundo dados da NTC&Logística (Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística) somente ano passado foram registrados mais de 22 mil ataques a motoristas. Apesar dos números altos, já existem estados virando cases de sucesso na redução de ocorrências de roubo de cargas. Esse é o caso de Santa Catarina. Nos últimos cinco anos, ele saiu de uma realidade de crescimento e atingiu o patamar de destaque em ações de repressão e combate, o que gerou redução histórica de 57%, segundo dados da Polícia Civil, ao comparar o primeiro trimestre de 2017 com o primeiro de 2019.

As ações assertivas do estado foram um dos destaques da programação do 3º Encontro de Segurança do TRC – Sudeste-Sul: Ações e Integração, realizado nos dias 24 e 25 de setembro, em Florianópolis e que reuniu lideranças do segmento das regiões Sul e Sudeste, e de Mato Grosso e Goiás, além de autoridades federais e estaduais da área de segurança pública.

O Transcares, como de costume, esteve representando no evento, por meio do superintendente Mario Natali. Mas ele não foi só! O dirigente viajou acompanhado do chefe da Divisão de Repressão aos Crimes Patrimoniais, delegado Rafael Correa.

A partir do objetivo de debater e encaminhar medidas que visam reduzir o volume de ocorrências envolvendo roubo de cargas, o encontro fez um Raio X das situações nacional e regional, elencando números, procedimentos,ações efetivas no combate ao roubo de cargas, sempre com foco à efetivação dos objetivos maiores.

E segundo Natali, todos que participaram certamente voltaram para casa com a bagagem cheia de novos conhecimentos e ideias para colocar em prática. “Costumamos dizer que a nossa luta contra o roubo de cargas não termina. Precisamos manter os olhos abertos, a atenção cada vez mais redobrada. Com informação, prevenção, articulação e parceria é possível coibir esse crime tão brutal ao nosso segmento”, comentou ele.

O evento

O primeiro dia de evento, 24, foi totalmente voltado às palestras das esferas federais, com apresentação e debate de grandes projetos. Passaram por lá o coordenador de Gestão de Dados da Secretaria Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça (Senasp/MJSP), Welton Rodrigo Torres Nascimento, que falou sobre Big Data e Inteligência Artificial; Na sequência, ainda do MJSP, o coordenador-geral de Fronteiras da Secretaria de Operações Integradas (SEOPI), Eduardo Maia Bettini, abordou as atribuições e funcionalidades do órgão; A seguir, o delegado da Polícia Federal, Eder Rosa de Magalhães, da Divisão de Repressão a Crimes Contra o Patrimônio (DPAT/DPF), destacou a atuação da PF no combate aos delitos de carga; e o inspetor do Grupo de Enfrentamento aos Crimes Contra o Patrimônio da Polícia Rodoviária Federal (COE/PRF), Paulo Guedes de Oliveira, falou a respeito da atuação da PRF no combate aos delitos nas rodovias.

Representando o TRC, o consultor da presidência da Confederação Nacional do Transporte (CNT), Getúlio Bezerra dos Santos, apresentou a palestra “Roubo de Cargas: Nova Fronteira do Crime Organizado – Medidas de Contenção”; e o coordenador da Comissão Nacional de Combate ao Roubo de Cargas da NTC&Logística, Roberto Mira, apresentou “As Ações da NTC&Logística no Enfrentamento aos Delitos de Cargas”.

No segundo dia, entraram em cena as comitivas de cada Estado, que comentaram suas realidades e deram suas contribuições para ações nacionais e estaduais de combate e repressão.

Natali citou as ações exitosas a partir do binômio “cooperação e integração” e a convergência de esforços desenvolvidos pelas forças policiais do Estado, com participação do Transcares, a importância do Grupo de Trabalho de Estudos, Prevenção e Combate aos Roubos e Receptação de Cargas, coordenado pela secretaria de Estado de Segurança Pública com participação de órgãos e entidades multidisciplinares, a legislação pioneira no Brasil para o alcance de pessoas jurídicas envolvidas na receptação de cargas roubadas e uso sistemático da ferramenta de inteligência policial para otimizar essas ações. Rafael, por sua vez, ficou mais focado nos ótimos números que cercam a realidade capixaba.

“O Espírito Santo é um dos estados com menor índice de roubo de cargas do País e é citado como excelência de atuação pela CNT”, finalizou o superintendente.