ES coloca o Brasil entre os maiores produtores e exportadores

15/01/19

A força do setor de rochas ornamentais brasileiras segue em alta no mercado internacional. Dados da Associação Brasileira de Rochas Ornamentais (Abirochas) apontam que o Brasil ocupa a 4º posição de países que mais produziram pedras naturais, sendo responsável por 7% da produção mundial do setor de rochas. As transações comerciais no ano de 2018 encerraram com um montante de US$ 992,5 milhões em exportações. Estados Unidos, China e Itália, respectivamente, mantiveram a liderança. O Espírito Santo, por sua vez, permaneceu na hegemonia de principal estado exportador brasileiro, respondendo por US$791,3 milhões das exportações, o equivalente a 79,37% do total de faturamento do país.

Dados do Sindicato da Indústria de Rochas Ornamentais, Cal e Calcários do Espírito Santo (Sindirochas) analisam o ano de 2018 com números animadores para as exportações de rochas ornamentais. Apesar do resultado final do ano ter ficado 10,38% abaixo do que foi verificado em 2017 (exportações brasileiras), os últimos quatro meses foram de resultados positivos, se comparados o mesmo período de 2017. De setembro a dezembro, houve uma retomada do crescimento, com pico no mês de novembro, cujo resultado foi 24,92% melhor que o mesmo mês em 2017. Já nas exportações capixabas foi detectado o mesmo comportamento, apenas alterando o mês mais positivo para dezembro, com crescimento de 24,58%.

Para 2019, analistas apontam para o mercado interno, a expansão de investimentos e novos lançamentos no mercado imobiliário da construção civil, fazendo prever o início de um processo de recuperação das vendas de rochas ornamentais. “A ABIROCHAS está implementando o Projeto Academia das Rochas, que tem por objetivo difundir as vantagens econômicas e estéticas das rochas naturais frente aos produtos artificiais concorrentes, através de ações que envolvem os segmentos de marmoraria, design, arquitetura e o próprio mercado da construção civil”, pontua o presidente da Abirochas, Reinaldo Dantas Sampaio.

Detentor da maior diversidade de pedras naturais do mundo, com grande variedade de materiais clássicos e exóticos, o país também carrega o título de 6º exportador mundial de rochas ornamentais e grande Parte dessa conquista é impulsionada pelo mercado capixaba: o Espírito Santo possui o maior parque industrial brasileiro e mais de 90% dos teares multifios em funcionamento.

Ainda de acordo com o levantamento divulgado no relatório de exportações de dezembro de 2018 do Sindirochas, ficou confirmado que o Espírito Santo permaneceu na liderança dos estados brasileiros que mais exportaram nesse mês; já no ranking das 30 maiores empresas exportadoras de rochas ornamentais do Brasil, referente ao período de janeiro a novembro de 2018, 29 delas são do Estado.

Nesse cenário, onde o Espírito Santo é um grande propulsor de vendas para os mercados estrangeiros, acontece a maior feira de rochas ornamentais das Américas, Vitoria Stone Fair l Marmomac Latin America. A feira abre o calendário mundial de eventos do setor de mármore e granito e recebe mais de 20 mil visitantes, entre os quais compradores de mais de 46 países.

O presidente do Sindirochas, Tales Machado, afirma que o evento é uma vitrine para a promoção e fortalecimento do Espírito Santo no cenário mundial e também uma alavanca de oportunidade para as empresas do setor de rochas ornamentais brasileiras fazerem negócios com os países estrangeiros. “O mercado mundial de pedras naturais mantém uma grande expectativa com a proximidade da feira, que acontece em fevereiro. Os principais estados exportadores e empresas mundiais escolhem a Vitoria Stone Fair como porta de acesso para a apresentação de seus produtos e serviços para o mercado global de valor”.

Machado completa que as expectativas para 2019 são positivas e que a feira internacional de mármore e granito será uma força motriz para a expansão das exportações capixabas e brasileiras no primeiro semestre. “Temos consciência de que superar os desafios presentes demandarão uma boa quantidade de esforço, dedicação, disciplina e união. Esses, aliás, são os alvos presentes no nosso planejamento. Acreditamos que nossas expectativas nos campos político e econômico se transformem em realidade, que tenhamos, por exemplo, maior segurança jurídica nas atividades e melhoria nas condições de infraestrutura logística, o que com certeza, nos trará ganhos de produtividade, conduzindo ao desenvolvimento de nossas empresas, nossa sociedade, nosso Estado e o nosso Brasil”.

Sampaio avalia que a grande aposta e desafio do setor de rochas e suas entidades representativas, inclusive aquelas responsáveis pela Vitoria Stone Fair, é promover a exportação de produtos acabados, para atendimento direto de obras. “Mais do que nunca será importante atrair visitantes dos EUA, especialmente designers, arquitetos, especificadores em geral e empreiteiros de obras, para a feira”.

O evento, que acontece de 12 a 15 de fevereiro, na Grande Vitória, Espírito Santo, é realizado pela Milanez & Milaneze, empresa do Grupo Veronafiere, e promovido pelo Sindicato das Indústrias de Rochas Ornamentais, Cal e Calcários do Estado (Sindirochas) e Centro Tecnológico do Mármore e do Granito (Cetemag).

Fonte: Assessoria de Comunicação Sindirochas