Fiscalização e boas práticas é tema de fórum

Informação nunca é demais! Pensando nisso, a Fetransportes, o Transcares e o Setpes decidiram comemorar a semana do meio do ambiente realizando o Fórum sobre Fiscalização e Boas Práticas Ambientais no Setor de Transportes na manhã desta quinta-feira, 7 de junho, no auditório do Setpes, em Vitória.

O evento reuniu cerca de 60 pessoas, que assistiram a duas palestras e dois cases. Coordenador regional do Programa Despoluir, João Paulo Lamas apresentou os números que marcam o Programa Ambiental do Transporte em solo capixaba e a  Gerente de Fiscalização do Iema, Rosa Eurídice Rodrigues de Oliveira, falou sobre fiscalização ambiental no setor. Wellington Gonçalves Teodoro da Silva, da Viação Águia Branca, e José Gustavo da Costa, da ArcelorMittal, compartilharam com o público a política, práticas e atitudes ambientais das suas respectivas empresas.

Superintendente do Transcares e representante do presidente, Liemar Pretti, Mario Natali abriu oficialmente o evento recorrendo à característica rodoviária do País

“Nossa frota possui em torno de 65 milhões de veículos e nossa principal matriz de transporte é o rodoviário. Esses números já mostram a responsabilidade ambiental que recai sobre o setor de transportes”, argumentou ele, destacando que o meio ambiente é de tanta importância para o País que a Constituição de 88 traz um capítulo específico voltado ao tema, e que além dele “existem ainda outras normas esparsas para o mesmo fim, ou seja, a proteção e controle ambiental”.

Natali fez questão de destacar, ainda, o Planejamento Estratégico do Transcares, que defende os preceitos da sustentabilidade, e associou o assunto do fórum ao segmento de cargas e logística. “Fazemos parte de um setor presente e imprescindível na movimentação da economia e na mobilidade pública, e seu descumprimento, certamente, traz para todos um passivo ambiental sem precedentes”.

Anfitrião do evento, o presidente da Fetransportes e do Setpes, Jerson Picoli, também deu suas boas-vindas e fez questão de ressaltar a atuação proativa da federação, que desde 1996 se empenha em desenvolver ações em prol da preservação ambiental, com foco na redução das emissões veiculares.

“E quando estamos falando em meio ambiente, gosto sempre de lembrar que no mesmo momento em que o mundo inteiro começava a buscar alternativas sustentáveis de crescimento, o setor de transportes também assumiu sua responsabilidade em favor da qualidade de vida e do meio ambiente. Desde 1996, nossa federação se empenha em desenvolver ações em prol da preservação ambiental, com foco na redução das emissões veiculares. Nossa primeira ação de peso veio através do Projeto Economizar, desenvolvido entre 1996 e 2006. E a partir de 2007, voltamos nossos esforços para o Programa Despoluir, programa nacional, lançado pela CNT”.

Palestras e cases

O coordenador do Programa Despoluir-ES, João Paulo Lamas, abriu a série de palestras com um retrato dos números do trabalho realizado pelos técnicos capixaba, trabalho este considerado referência nacional. Segundo ele, em 10 anos de Despoluir, a equipe capixaba realizou 244 mil aferições veiculares em veículos movidos a diesel de empresas de transportes parceiras do programa e conseguiu 96% de aprovação nos testes – a média nacional de aprovação é 88%. Além disso, também nesses últimos anos, houve uma quantidade média de 132 milhões de litros de diesel que não foram consumidos, 793 toneladas de material particulado não emitido para o meio ambiente e 351 mil toneladas de gás carbônico que também deixaram de chegar à atmosfera.

“Esses três últimos números são estimativas, mas dá para ter uma ideia dos resultados positivos do Despoluir para o meio ambiente. Nosso trabalho é este, trabalhar em prol da qualidade do ar”, destacou Lamas, comentou ele.

O Despoluir/ES é considerado referência em todo o Brasil e a atuação da equipe capixaba recebeu um elogio de Mario Natali na abertura do evento. “Trata-se de um trabalho silencioso e resultados maravilhosos em favor do setor e da sociedade”, disse o dirigente do Transcares

A seguir, o comprador da Viação Águia Branca, Wellington Gonçalves Teodoro da Silva, apresentou o case Atitude Sustentável. Ele citou, dentre outros projetos e investimentos da empresa, a implementação de caixa separadora de água e óleo, o sistema de tratamento e reaproveitamento de água, que gera uma economia de mais de 31 milhões de litros de água, depósito específico para armazenagem de para-brisa para envio de reciclagem, coleta de pilhas, bateria, óleo e coleta seletiva.

E no final, deu uma dica muito importante. “Não adianta a empresa fazer campanhas, projetos e criar ações sustentáveis se não engajar seu colaborador. Ele é parte essencial deste processo”.

Gerente de Fiscalização do Iema, Rosa Eurídice Rodrigues de Oliveira apresentou muitos dados importantes em sua palestra, Fiscalização Ambiental no Setor de Transportes. E um, em especial, chamou a atenção do público. Sobre licenciamento, ela fez questão de alertar que além dos caminhões que transportam cargas perigosas, empresas cujas garagens façam abastecimento e manutenção também são passíveis de licenciamento pois essas atividades são potencialmente poluidoras.

Outra informação relevante que ela fez questão de destacar comparava carga perigosa e produto perigoso. “Pedra, por exemplo, não é um produto perigoso, mas é uma carga perigosa. E aí entra a responsabilidade de cada um no ato de transportar”, observou ela, dizendo, ainda, que as grandes empresas já veem o Iema como parceiros.

“Elas já se conscientizaram que estamos ali para fiscalizar, sim, mas reconhecem que atuamos de maneira educativa. Afinal, se há irregularidades, não há como não autuar”.

O fórum foi encerrado com o case da ArcelorMittal. José Gustavo da Costa, da Gerência de Sustentabilidade e Meio Ambiente, apresentou as diretrizes de desenvolvimento sustentável que fazem parte da rotina da produtora de aço. “Temos uma equipe multidisciplinar que trata a questão ambiental, nosso Planejamento Estratégico possui metas até 2030, tendo como foco a redução das emissões, e nosso desafio diário é a busca pela melhoria de nossa atividade”, enumerou ele.